Castração

Castração de Filhotes – POR QUÊ?

Sempre fico um tanto desconfortável ao falar o que penso sobre neutralizar um Shiba. Minha visão é, muitas vezes, divergente por que não me enquadro como proprietário ou tutor de Shibas – embora sejam meus adorados companheiros – sou deles um Criador.

Como criador, tenho a obrigação de estudar e conhecer as verdades científicas e morais correlacionadas com a raça.

A exposição de minhas ideias nesse tema não tem nenhuma pretensão dogmática. Pelo contrário dela podem provir contestações e esclarecimentos, nos comentários deste Post, que me permitam revê-las. Além disso, sei muito bem que os meus “filhos” não me pertencem, pertencem ao mundo, aos seus novos tutores que lhes proverão a melhores condições para sua felicidade

Castração de Filhotes – QUANDO

Há quem me pergunte se eu entrego os filhotes de Shibas já esterilizados. A resposta é nunca. Primeiro por que isso afeta seu crescimento de muitas formas, conforme a literatura científica, especialmente para os machos.

Quem, ponderadamente, resolver fazer isso, que espere, pelo menos até os 12 meses de idade. Para os machos, esterilizar muito cedo pode promover problemas no ligamento cruzado anterior, câncer ósseo, câncer de próstata e até displasia coxo femural, além de limitar o crescimento.

COMPORTAMENTO

A castração afeta principalmente o comportamento, removendo as principais fontes de hormônios sexuais: testosterona dos testículos em cães machos, estrogênio e progesterona dos ovários em cadelas. Os hormônios sexuais geralmente atuam como moduladores de comportamento: eles não causam comportamentos, mas influenciam a probabilidade de ocorrência de determinados comportamentos.

Alguns estudos sugerem que o sexo e o status de castração podem influenciar comportamentos que não estão diretamente ligados aos hormônios sexuais, incluindo medo e agressão em diferentes contextos (incluindo agressão direcionada a pessoas). No entanto, os resultados são controversos.

Há estudos que identificam risco aumentado de desenvolver fobias de ruído e um risco reduzido de desenvolver ansiedade de separação em cães castrados mais cedo de ambos os sexos. Shibas, naturalmente, administram bem esta última condição. Cães machos castrados antes de 6 meses eram mais propensos a mostrar agressão aos membros da família e latir ou rosnar para os visitantes do que os castrados mais tarde.

Além disso, como podem ver nos vídeos apresentados neste Post, a castração não reprime o instinto de marcação territorial, em muitos casos.

Eu me pergunto, por que alguém escolheria e pagaria o elevado valor de um Shiba, para ter um animal diverso, que se comporta com passividade, que não ostenta o admirável temperamento que os japoneses preservaram por séculos, neste Tesouro Nacional. Muito mais fácil encontrar uma outra raça, tal como um Lhasa Apso, que já possui o temperamento almejado, é quase inerte e mais barato.

SAÚDE

A castração tem sido geralmente anunciada como tendo benefícios para a saúde dos cães, particularmente no que diz respeito à redução da incidência de doenças das glândulas mamárias e do útero em cadelas e doenças testiculares e prostáticas em cães machos.

No entanto, nos últimos 10 anos, vários estudos sugeriram que a castração também pode provocar efeitos prejudiciais. Embora variem um pouco de um para outro, em geral os estudos mostram um aumento da incidência de doenças articulares, incluindo displasia do quadril e ruptura do ligamento cruzado cranial, e de vários tipos de câncer, incluindo hemangiossarcoma, tumores de mastócitos, linfossarcoma, osteossarcoma e linfoma nos cães castrados.

LONGEVIDADE

Os estudos que analisam a influência da castração na longevidade em cães mostram uma forte relação positiva entre castração e longevidade em cães, com vida útil aumentada entre 14% e 26% em castrados.

Nestes estudos, cães castrados eram menos propensos a morrer de doenças infecciosas, traumas, doenças vasculares e doenças degenerativas, mas mais propensos a morrer de doenças neoplásicas e relacionadas ao sistema imunológico.

CONTROLE POPULACIONAL

A castração cirúrgica é atualmente o meio permanente mais confiável de prevenir a reprodução em cães. Cães que não são castrados devem ser manejados com cuidado para evitar acasalamentos indesejados.

CONCLUSÃO

Quem conhece o Shiba e seu admirável temperamento, seus maravilhosos instintos naturais, provavelmente se sentirá frustrado com a “pasteurização” decorrente da neutralidade. O Shiba, passado o período juvenil, é educado, higiênico, contido, nipônico, não precisa de uma mutilação para ser sociável.

Por outro lado, pode ser que você se torne um adicto de Shibas, e queira aproveitar o seu exemplar para reproduzir, lá pelos nove anos, para continuidade na família.

Quem sabe, tendo um macho, o colocará para reprodução, auferindo o valor de um filhote em cada cruzamento, ou tendo uma fêmea, consiga um padreador para uma ninhada, lucrativa? Tudo isso já conhecendo o temperamento individual do seu exemplar, que será herdado por seus filhos.

O trabalho adicional para evitar cruzamentos com as fêmeas é muito pequeno e pontual, de seis em seis meses, podendo ser apoiado por contraceptivos.

Assim, ressalvada a longevidade ampliada, não encontramos motivos sólidos para a castração de Shibas domésticos com donos responsáveis, além do movimento do “politicamente correto” que se originou na Inglaterra para os casais mais jovens. Mas posso ser vítima de alguma miopia coerente com o fato de que “cachorro velho não aprende truque novo”.

Por favor me esclareçam!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima
× Como posso te ajudar?