SHIBA – Um comportamento assustador

Um grande susto, sem necessidade

SHIBA – COPROFAGIA

Uma cliente, jovem, delicada, educada, moderna, nos telefonou muito chocada: não acreditava em seus olhos; nosso filhote, agora seu filhote, de boa linhagem, estava comendo as próprias fezes.

O nome disso é coprofagia, rótulo complexo, para o ato de comer fezes, pode ser tanto as próprias como as de outros animais.
Pode parecer algo assustador e um tanto quanto nojento, e infelizmente, existem muitos casos de abandono de cães devido a este problema.

Calma! Leia até o final, por obséquio.

SHIBA – Um cão primitivo

SHIBA -coprofagia

Vamos, primeiramente, entrar no mundo dos cães e, por alguns instantes, esquecer o mundo humano.

Abandone conceitos e preconceitos sobre essa questão. Precisamos de uma atitude isenta para a entender.
É normal, por exemplo, que os cães regurgitem ou vomitem sua comida e logo a ingiram novamente. Seria horrível para um humano, mas o Shiba é um cão primitivo, cujo DNA é o mais próximo do ancestral, o Lobo Cinza.

Coprofagia não é tão normal, mas não é de todo estranha.

As mamães Shibas alimentam integralmente sua ninhada nas primeiras semanas de vida. Enquanto estão exclusivamente mamando, ela massageia seu abdome e, com a maior naturalidade, consome as suas fezes. Isso é instintivo, atávico, e se destina a não denunciar a prole para outros predadores, através do olfato desses.
Na verdade, nos primeiros dias, os filhotes precisam ser estimulados para urinar e defecar (filhotes órfãos precisam de assistência). A mãe faz isso, lambendo as áreas anais e genitais deles. Gradualmente, eles desenvolvem a habilidade de urinar e defecar por si mesmos por volta da terceira ou quarta semana de vida. Os proprietários são poupados de assistir essa fase, que permanece conosco, os criadores.
Aqui no Shibashow observamos tal procedimento com naturalidade e, claro, com respeito pelo sacrifício da mãe. Por isso, as amamos mais, e não menos. Por vezes, continuam por mais tempo, por mais algumas semanas.

Competimos com elas, tentando ser mais rápidos, mas nem sempre vencemos. Acontece.
Os pequenos filhotes imitam a mãe para iniciar a comer alimento sólido. Alguns também a imitam nesse “pecado”. Mas, como não possuem os outros fatores determinantes desse comportamento, que serão comentados, cessam e passam a ser “normais” logo nas primeiras semanas, com algumas escorregadas, eventuais.

A COPROFAGIA PREJUDICA?

O ato em si de comer fezes não vai prejudicar seu cão, a não ser que ele coma fezes de outros animais e estes estejam contaminados com vermes, por exemplo.
Porém, um cão saudável que ingere as próprias fezes não terá nenhum prejuízo em relação a sua saúde.

OUTRAS CAUSAS DA COPROFAGIA

Verminoses: Alguns vermes intestinais acabam deixando as fezes mais atrativas, por eliminar a absorção de nutrientes e criar uma ânsia de os suprir de alguma forma. Não é o caso dos exemplares do Shibashow.
Submissão: Caso exista mais de um cachorro em sua residência e um deles desenvolva este hábito, pode ser um sinal para o outro cão que ele é submisso. Normalmente, não é o caso de Shibas corretos, como os do Shibashow. Se o for, será por pouco tempo, salvo alguma interferência exótica.
Estresse e ansiedade: Quando o cão está muito estressado ou ansioso e não consegue extravasar de outra forma, ele pode consumir fezes. Pode até fazer isso para chamar sua atenção.
Sabor agradável: Quanto maior o nível de carboidrato e proteína na dieta, acredite, mais palatável serão as fezes no mundo canino, e por isso é importante manter uma dieta equilibrada.

RAÇAS PREDISPOSTAS

Há raças com essa predisposição genética, mas o Shiba, salvo o caso das mamães protetoras, não está entre elas.

COMO TRATAR?

Primeiramente, eu tenho dado um crédito ao filhote (isso aconteceu com meu importado italiano, por exemplo, que chegou aqui em casa com mais de quatro meses). Coleto as fezes, quando as encontro, e dou um tempo. Normalmente, cessa, pois que não há outras causas determinantes: eles não tem parasitas, são bem alimentados, não são inseguros; fim.
Se passado um período, digamos de um mês e não ficar resolvido – o que nunca me aconteceu, então procure o médico veterinário (por ocasião da vacina, se for o caso) para descartar os demais problemas que poderão causar o “apetite depravado”.
Seu médico veterinário pode também prescrever um anticoprofágico que é um remédio especial para essa condição. Porém, só ofereça o remédio caso seja recomendado pelo seu médico veterinário. Não faça a automedicação.

DICAS PARA AJUDAR NO TRATAMENTO

Somadas ao tratamento prescrito pelo médico veterinário, você pode adotar algumas práticas:
Recolha imediatamente as fezes do cão e evite fazer isso na frente do cão, pois eles podem relacionar o ato de defecar com o ato de as fezes sumirem…
Ofereça uma recompensa quando ele não comer as fezes.
Controle de estresse e ansiedade: para ajudar seu cão neste quesito é muito importante que você brinque com ele ou saia para passear todos os dias com seu pet. Um ponto interessante: separe um brinquedo de que seu pet goste muito, e ofereça mais este brinquedo quando seu cão tiver que passar um tempo sozinho. Aqui, o brinquedo mais apreciado são os ossos autoclavados.

CONCLUSÃO

A coprofagia não é necessariamente prejudicial para o seu cão, mas pode indicar que alguma coisa não está correta, e por isso, vale a pena fazer uma visita ao médico veterinário, se não cessar espontaneamente.
Então, já anote para facilitar o diagnóstico:
1. Há quanto tempo seu cão come fezes?
2. O cão come apenas suas próprias fezes ou come as fezes de qualquer outro animal?
3. Seu cachorro passa muito tempo sozinho? Seu cão costuma lamber muito as patinhas ou cavar os cantos da sua casa de forma excessiva?
4. Qual é a alimentação do seu cão? Houve alguma mudança recente?
5. Qual a rotina de passeios ou brincadeiras do seu cão?
6. Além de comer fezes, seu cão apresenta algum outro problema? Está mais quietinho ou apresentou algum episódio de vômito recente?
7. Seu cão está devidamente everminado? Qual e quando foi o último vermífugo?

Não tenha preconceitos com seu bichinho! Ele é apenas um cachorro e sua visão de mundo é muito diferente da humana. Coisas absurdas para nós, como comer fezes, podem ser naturais para ele.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima
× Como posso te ajudar?